Jean Wyllys

Deputado pede que sigilos fiscais entre o jornalista Glenn Greenwald e Wyllys sejam quebrados.

O deputado federal José Medeiros (Podemos-MT) alerta para um possível elo entre a renuncia do então parlamentar Jean Wyllys (PSOL) e o vazamento de mensagens atribuídas ao ministro Sergio Moro e procuradores da Lava Jato. Movido por essa suspeita, o deputado enviou ofício para Procuradoria Geral da República (PGR) e para Polícia Federal (PF) pedindo que seja aberta uma investigação para apurar o caso.

Medeiros suspeita que Wyllys tenha vendido o mandato para seu suplente, David Miranda (PSOL-RJ) ao renunciar e pede que esta possibilidade seja apurada e que os sigilos fiscais entre o jornalista Glenn Greenwald e Jean Wyllys sejam quebrados para averiguar eventuais transferências de recursos entre eles.

A suspeita do elo entre os casos tem como fundamento o fato de Greenwald ser casado com o suplente de Wyllys e editor do site The Intercept, responsável por expôs as mensagens.  “Tem que parar de ser ingênuo. Há um claro objetivo político de desestabilizar tudo, parar a Lava Jato e impedir a reforma da Previdência. Estamos em guerra contra uma quadrilha”, disse o parlamentar ao site O Antagonista.

Para o deputado o vazamento trata-se de uma “invasão cibernética promovida e patrocinada por estrangeiros”: “Diante desses fatos, solicito que seja apurada a relação do Deputado Jean Wyllys, do Deputado David Miranda, do senhor Glenn Greenwald e a invasão dos celulares do Ministro Sérgio Moro, de procuradores da Lava Jato e a divulgação de mensagens pelo site “The Intercept”, havendo possibilidade de tal invasão cibernética ter sido promovida e patrocinada por estrangeiros no Brasil”, diz trecho dos ofícios enviado pelo parlamentar.

Esse artigo foi extraído do site:O Antagonista

Comentários

0 comments